sábado, 8 de fevereiro de 2014

Prólogo: Através de um Espelho Escurecido

Mago A Ascensão 3ª Edição trouxe vários aprimoramentos de regras, mas também trouxe um prólogo de fácil entendimento para os iniciantes que rapidamente os colocam imersos no universo do jogo.
Trago aqui agora a transcrição deste maravilhoso texto, que é uma fonte de introdução para tantos jogadores:
Prólogo do Mago Revisado

   Eles dizem que a magia está morta. É uma ficção conveniente, a magia – um produto fantástico de uma história que nunca existiu, um conto de fadas. Unicórnios e dragões, espadas mágicas e tomos antigos são apenas contos de criança, ninguém acredita em nada disso. Mas agora mesmo provamos que isso é uma mentira, conforme atravessamos essa parede... assim... e aqueles policiais do outro lado não terão nenhuma ideia de onde fomos.

   Vá em frente, sente-se um pouco; você precisará absorver o que vou lhe contar e eu preciso recuperar meu fôlego. Não, não pegue essa tábua. Eu não vou matá-lo, amaldiçoá-lo, comer sua carne ou nada dessa baboseira, portanto cale-se e me escute ou você terá uma vida muito curta durante os próximos minutos e não será por minha causa.

   Espere um pouco eu tenho que fazer algo antes.

   Pronto. Nós podemos nos esconder aqui por enquanto, sem nos preocuparmos com aqueles policiais. Eles estarão ocupados do outro lado do quarteirão. Me dá algum tempo para fazê-lo entender.

O Mundo Mágico

   Você vem cambaleando pela vida com a crença de que este é mundo racional e ordenado, de que a ciência pode explicar tudo e de que os mitos e contos de fada são coisas de criança. Você vem usando tapa-olhos criados por uma centena de anos de história fabricada. Todos aceitam isso e se você é diferente, você é visto como um excêntrico, psicótico ou avoado. O problema é que este é um mundo em que as pessoas aceitam isso só porque é seguro. Tudo é ordenado, mundano e pode ser explicado. Todos podem comer fast-food e ter um emprego tedioso sem se preocupar com loucuras como demônios e magias.

   Você é diferente. Você achou que era louco quando olhou pela janela hoje à noite e viu o que realmente estava acontecendo, certo? Aquela pressão constante em sua cabeça tinha que ser um tumor e você estava somente alucinando – fim. Uma forma conveniente de evitar a noção de que talvez o seu reconhecimento súbito da magia seja realmente uma consciência repentina da verdade que vem sendo escondida de você durante toda a sua vida.

   Sim, magia. O mundo está cheio dela. Todas as coisas, desde rituais pagãos até lutas de kung fu e estranhos avanços da ciência confirmam a existência dela neste mundo. Contudo, ao contrário do que aconteceria antigamente, ela é quieta, sutil e escondida cuidadosamente dos olhos das pessoas comuns.
   Entenda, as pessoas comuns não desejam um mundo mágico. Elas querem um mundo seguro onde não tenham que confrontar os perigos dos demônios, dragões, sonhos e da imaginação. Entretanto, como você aprendeu tão recentemente, algumas pessoas simplesmente não se encaixam no molde “comum”. Nós abrimos os olhos para um mundo em que podemos criar nossas próprias regras e escolher por nós mesmos no que acreditar. Nós Despertamos para uma magia que está escondida bem à vista.

   Não acredita? Você acabou de ter uma pequena mágica quando atravessamos aquela parede. Eu aposto que você também sentiu alguma coisa quando eu fiz aquele selo com o amuleto – um arrepio na nuca, o sentimento repentino de estar com a palavra na ponta da língua, certo? Isso também é magia. Só porque ela não é visível não significa que também não é poderosa. Ela está por aí e depois de vê-la algumas vezes, você irá acreditar nela. E quando você acreditar nela, você a verá todo o tempo.

   Não, você não é louco, assim como eu também não. Você simplesmente entrou em um mundo maior. Leva algum tempo para se acostumar, mas é bom você aceitar, porque não é possível voltar por aquela porta. A súbita compreensão que explodiu em sua mente nunca mais irá desaparecer.

   Eu sei como você se sente porque sei do que eu estou falando. Tudo o que você tem a fazer é escutar.

Magia 101

   Não me olhe assim. Eu estou tentando ajudar.
   Bom, você já viu alguns truques legais com seus próprios olhos. Só para ajudá-lo a cruzar a linha, eu vou mostrar o que realmente está acontecendo. Não se mova; eu não vou machucá-lo. Apenas observe o que vou fazer. Espere um pouco – maldito elixir, está sempre no bolso errado.

   Pronto. Você se lembra daquele tipo de vibração que é possível sentir na sua cabeça, aquele que ti avisou sobre algo errado com o cara da loja e que ti assustou quando atravessamos a parede? Concentre-se naquele sentimento. Eu quero que você se concentre no poder por trás daquele sentimento. Eu sei que você está cético, mas nada disso irá funcionar se você não acreditar. Portanto, apenas se lembre de como atravessamos aquela pedra como se fosse névoa. Respire fundo e feche os olhos por um segundo. Pense sobre aquele poder e abra-os novamente.

   Você está vendo?
   Legal, não acha?

Mago mostra a Quintessência para o novato.


   O que você está vendo na minha mão é o que chamamos de Quintessência. Ela é basicamente a energia que compõe a magia. Toda a criação deriva da energia da Quintessência; ela é ligada de uma forma que definimos como Padrões. Você é um Padrão, eu sou um Padrão e tudo aquilo com uma representação que podemos sentir ou afetar possui algum tipo de Padrão. Essa explicação pode ficar muito mais complexa do que isso, mas tentarei ser breve.

   Quando você recebe esse golpe metafísico na cabeça, você adquire o potencial de fazer mágicas. Algumas pessoas fazem isso sem nunca ver o mundo dessa forma, mas estas não conseguem controlar sua habilidade. O Despertar para um mundo maior, por outro lado, sempre é marcado pela capacidade de aprender a magia verdadeira. Você percebe que há mais no mundo mais no mundo do que aquilo que foi levado a acreditar e aprende a recriar o mundo de acordo com a sua vontade.

   É isso que a magia reflete: desejo. Ela é moldada com a vontade e a sabedoria, mas na verdade só surge quando você deseja exercer mudanças. Ela nos dá várias formas de transformar a Quintessência no universo. Ao alterar essa energia, nós reelaboramos, criamos ou destruímos Padrões do mundo ao nosso redor. Sua magia é uma ferramenta. Cada ritual, prática ou expressão vocal concentram essa energia e a distorcem. O resultado final: eu digo algumas palavras em uma linguagem mágica e nós atravessamos a parede: você se concentra no poder da magia e é capaz de vê-la; nós acreditamos com veemência e ela se torna real.

   Existem diversas formas de discutir a magia, formas de categorizá-la e meios de aprendê-la. Graduações complexas, títulos e fórmulas a codificam em um grau de infinito. Só vamos nos preocupar com essa baboseira depois de entendermos alguns conceitos mais básicos.

O Preço

   Obviamente, nada neste mundo vem de graça e a magia não é exceção.
   Embora traga poder, ela não é tão poderosa. Um mago só é capaz de fazer aquilo que suas crenças, vontade e treinamento são capazes de suportar. Eu nunca aprendi a controlar o clima, por exemplo, e isso é uma tarefa tão complexa e de larga escala que está fora do meu alcance. Você pode elaborar uma mágica para voar, mas não será tão fácil desfazer o conceito da gravidade. Lembre-se que você também tem limitações. Eu suponho que seria capaz de criar um portal mágico para Tóquio, mas o esforço seria tão monstruoso que é preferível pegar um avião.

   Um outro problema é que a mágica tende a sair do controle. Ela não é totalmente caótica, mas possui seus efeitos colaterais. Uma vez que reflete seu desejo, ela naturalmente demonstra suas intenções e suas emoções. Se você faz uma mágica com a intenção de matar, ela irá demonstrar isso – ela será forte, violenta e furiosa. Faça algo com luxúria em mente e o quadro muda totalmente.

   As tentativas mais ostensivas correm o risco de sofrer Paradoxo. Entenda, eu sei que pelo meu treinamento e compreensão que sou capaz de atravessar uma parede com o ritual correto, embora nosso conhecimento das leis do mundo nos diga que isso é impossível. Isso é um Paradoxo! Portanto, quanto mais estranha for a sua magia, maior será o risco de um tiro pela culatra. Fazer algo que apenas desvia levemente a realidade de sua rota é simples. Realizar mágicas mais potentes e causar grandes maldades, por outro lado não apenas requer trabalho, mas envolve grandes mudanças. Quanto mais você tenta mudar o universo ao seu redor, maior a probabilidade de o Paradoxo atingi-lo na cabeça. O Paradoxo poderia simplesmente destruir sua magia, ou então provocar todo o tipo de esquisitices para afligi-lo. Em vários caso, ele até mesmo explode. A moral é manter a sua magia sutil e com pouca intensidade. Confie em mim, você irá durar mais dessa maneira.

O Longo Caminho

   Dados os problemas e dificuldades da magia, você já deve estar se perguntando por que alguém se daria ao trabalho. A verdade é que não há volta. Agora que você Despertou, não dá mais para fechar os olhos. Pra você, a magia sempre existirá e sempre irá atraí-lo. Além disso, depois que você Desperta você enxerga o mundo com outros olhos. Nós magos temos a tendência de ver coisas que as pessoas normais não vêem e, como resultado, somos tragados para dentro de um mundo sobrenatural que pensávamos só existir nos romances.

   É justamente por isso que eu estou te fazendo esse favor. Apenas concorde e finja estar prestando a atenção. Entenda, agora que Despertou, você mesmo encontrará o seu caminho neste mundo mágico. Isso significa você deve aprender a fazer a sua magia com responsabilidade ou vai acabar se matando. Se estragar tudo, há grandes chances de que você encontre um conhecido meu. Chame de sabedoria egoísta se desejar, mas acho que vou gastar umas poucas horas para ao menos para fazê-lo compreender essa confusão.

Uma Aula de História

   Eu tive meu primeiro contato com a magia há muitos anos, mas eu era tão ignorante quanto você. Eu pensei que tinha endoidado, que havia visto muitos horrores e minha mente tinha simplesmente parado de funcionar. Levou algumas semanas até alguém perceber minha situação e decidir me mostrar a verdade. Com meu professor, eu aprendi as primeiras noções da mágica, história e sociedade, tudo em um estilo místico. Agora estou ti fazendo um favor e passando isso adiante pra você.

Magos existem desde os primórdios dos tempos.

   Os magos sempre existiram. Nós somos os pioneiros e visionários que fazem o impossível: os homens e mulheres que exploram o desconhecido, abraçam causas e buscam respostas para grandes mistérios. Durante boa parte dos últimos, digamos, dez mil anos, essas pessoas desenterraram segredos bizarros, dançaram com entidades estranhas e basicamente andaram por aí realizando todo o tipo de experimentos na busca por poder, sabedoria, segurança e qualquer outra coisa que um ser humano pode desejar. Está tudo na história se você souber procurar – histórias como o épico de Gilgamesh, a Bíblia, os contos do Rei Artur. As pessoas realmente fizeram todas aquelas coisas miraculosas e elas continuam fazendo até hoje.

   O que você quer saber é como irá aprender a usar esse poder agora que percebeu o seu potencial para mudar o mundo e abriu os olhos para a verdade? Os primeiros magos provavelmente tinham que improvisar conforme seguiam em frente. Em algum lugar no meio do caminho, eles começaram a falar uns com os outros sobre como eles faziam as coisas. Os magos trocaram ideias e teorias, eles inventavam motivos para suas mágicas e passaram suas crenças adiante para seus alunos. Destas raízes nasceram as ordens mágicas.
Guerra dos magos.

   Obviamente, contudo, quando você une vários visionários poderosos em um mesmo lugar, eles não vão concordar com nada. Essas fraternidades mágicas brigaram como gatos furiosos sobre a essência de seus dogmas, teorias e práticas. Mestres de artes marciais surraram o diabo dos existencialistas Kevorkianos, enquanto a igreja queimava as bruxas na fogueira. Profetas e alquimistas do Oriente Médio discordavam dos cavaleiros europeus. Culturas xamanistas eram erradicadas no fogo cruzado. O triste é que cada uma delas estava convicta sobre ter o domínio sobre “a verdade”.

   Tudo bem, eu estou sendo um pouco teatral, mas foi mais ou menos assim que aconteceu.

   Basicamente os magos estavam guerreando para ver quem estava certo, quem estava errado e quem merecia guiar e proteger a humanidade. Todos tinham sua própria visão mais ninguém conseguia concordar. Mestres e seus alunos formavam conspirações cuidadosas para proteger seus tesouros ocultos e cada grupo brigava contra os outros. A humanidade oscilava, alternadamente temendo e adorando esses místicos que lhe traziam poderosas novas formas de pensar, mas também a aprisionava com ideias conflitantes ou uma descrença pura e total. Isso tudo foi varrido para baixo do tapete por razões que eu ainda vou explicar, só espere um pouco.

Uma Idade das Trevas 

   Durante a Idade Média, as pessoas haviam estabelecido uma grande quantidade de sociedades diferentes. A Europa trabalhava sob um sistema feudal, no qual a nobreza e a Igreja lutavam pelo domínio enquanto eruditos e místicos fugiam dos olhares atentos a fim de prosseguir tranqüilos em sua busca pelo conhecimento. Na Ásia, grande impérios – que mais tarde formariam a China, o Japão, a Coréia e outros – conduziam a criação de complexos sistemas sociais entrelaçados com as origens das artes marciais e religiões filosóficas como o Budismo e o Xintoísmo. A África abrigava cidades prósperas, reinos e magos conselheiros antes de ser dizimada pela praga, a fome e a colonização. As Américas ostentavam povos nativos que desenvolveram sistemas matemáticos, proezas de arquitetura, religiões complexas e alguns inventos assustadoramente engenhosos. Em cada uma dessas culturas, os magos conduziam tudo desde os desenvolvimentos na agricultura até feitiçaria mecânica e mudanças sociais. É claro que alguns humanos normais também geraram grande impacto, mas de forma geral, os magos inspiravam muitas das mudanças mais radicais e extraordinárias.

   A Europa se organizou com ambição. Não há outra forma de dizer; os magos chineses eram organizados, mas nunca chegaram a expandir-se, enquanto os americanos eram profundamente fragmentados e os africanos não tinham nenhum desejo de poder. Na Europa, os magos envolvidos com a Igreja se encontravam em estado de guerra, enquanto os mais eruditos viam sua magia como uma forma de entender e controlar o universo. Naturalmente, eles se expandiram. Os feiticeiros realizaram um grande experimento para tentar unir todos os magos sob uma mesma bandeira, mas falharam diante de suas próprias limitações e da tentação de demônios, enquanto os clérigos decidiram erradicar todos os que não pensavam como eles. Cada um dos grupos estava tão obcecado por estabelecer sua própria superioridade que os humanos que não haviam Despertado acabaram como vítimas da própria guerra dos magos.

   Embora os magos tenham feito grandes progressos, eles abandonaram o povo. Esse orgulho lhes custou muito.

Razão para as Massas

   Uma coisa importante a se lembrar: só porque você viu o mundo como ele é, isso não significa que você seja capaz de fazer mágicas tão repentinamente. Cada um Desperta para o poder de uma forma diferente. Para alguns, a mágica é a habilidade de fazer as coisas acontecerem por meio de princípios estudados misticamente, pela fé ou pela prática extensiva de exercícios. Para outros, ela surge com o lampejo de um gênio intuitivo que conduz a façanhas científicas. O ponto em comum é que um dia você acorda e subitamente acredita que pode mudar o mundo – e você pode.

   Havia vários outros grupos de magos andando por aí e caçando hereges, invocando demônios, sacrificando virgens e basicamente destruindo tão abruptamente o panorama que as pessoas normais pouco podiam fazer além de se esconder em suas casas. Mais ou menos na mesma época, algumas pessoas começaram a insistir na ideia de que o mundo pode ser explicado por noções racionais e reprodutíveis, que a razão pode ser aplicada em todas as questões e que todos podem ser beneficiar da compreensão das regras pelas quais o mundo funciona. Combine os dois e de um lado você terá um bando de magos que não dá a mínima para as pessoas comuns enquanto do outro, terá magos que abraçam a causa da razão e do pensamento racional e realmente acreditam nisso. Assim nasceu a Ordem da Razão.

   Embora tanto a ciência como a razão pareçam funcionar com base em princípios objetivos, a realidade é que grande parte desta ciência nunca funcionou até que as pessoas a codificassem e acreditassem nela. Trabalhando juntos trocando ideias, esses pensadores definiram uma nova forma de ver o universo, e preconizaram que ele funcionaria da mesma forma para todos. Claro, suas teorias eram extravagantes e eles tiveram muito trabalho para aprender tais percepções, mas a ideia era que, mesmo para aqueles que não compreendiam como o universo funciona, ele funcionaria para cada um da mesma forma que funciona para o professor, o clérigo ou o nobre. Os cientistas simplesmente conheciam as regras, e assim, sabiam o que esperar.

   A talentosa Ordem da Razão atuou da mesma forma que os demais grupos de magos. Eles realizaram maravilhas com sua ferramenta escolhida – a razão – assim como grandes avanços na forma de pensar. Eles lutaram muito com os demais magos e também tinham seus reveses e problemas, mas bateram em uma tecla que nenhum mago havia batido antes: a maioria de suas ações ajudava, inadvertidamente, as pessoas comuns do dia-a-dia. Os pensadores racionais criaram um mundo onde o homem, e não Deus era o centro. A razão possibilitou a criação de ferramentas que qualquer um seria capaz de aprender a usar. Os campeões de um mundo seguro e ordenado abraçaram o fardo de lutar contra os demônios e bruxas que exploravam o home comum.

   Com o apoio dessas pessoas, os pensadores da Ordem da Razão disseminaram suas ideias para a população. O povo testou e usou as teorias, ajudando a fortalecê-las. Camponeses se ergueram para depor sacerdotes tirânicos e feiticeiros poderosos e misteriosos. A revolução aumentou com uma bola de neve e subitamente os magos estavam fora do caminho. As pessoas não iriam mais tolerar aqueles grupos que haviam molestado. A Ordem da Razão colocou ainda mais vantagem, eliminando impiedosamente qualquer coisa considerada perigosa para a humanidade, enquanto seus teóricos decidiam construir um novo mundo onde as pessoas não teriam que se preocupar com espíritos ou perigosas magias selvagens. A tecnologia e a ciência se tornaram a palavra chave da nova era.

O que restou hoje 

   Durante os vários séculos que se seguiram, a Ordem da Razão conseguiu estabelecer sua influência repressora sobre a sociedade. Sente-se aqui nesta cidade iluminada pela eletricidade, com materiais de construção modernos para os prédios e cargas de alimento trazidas de fazendas mecânicas e pronto, você está vivendo sob os princípios deles. Não é uma vida ruim se você não deseja nada melhor. A Ordem da Razão adotou a tecnologia como a salvadora da humanidade e tomou o nome de Tecnocracia.
Bruxa preparada para queimar na fogueira.

   Hoje a Tecnocracia joga com todas as cartas. Embora os Tecnocratas não controlem o mundo, eles certamente o observam e têm influência em todos os lugares certos. Eles protegeram a humanidade contra a destruição por forças sobrenaturais e construíram o mundo seguro e próspero que você vê ao redor.

   Então você me pergunta, ma por que ninguém mais acredita na magia? Por que os livros de história ignoram isso? Tudo faz do programa da Tecnocracia – ou Pogrom, como eles chamam. Logo nos seus primeiros dias, a Tecnocracia decidiu que a magia era muito perigosa (e muito concentrada nas mãos de pessoas irresponsáveis) para ser permitida neste mundo. Assim, eles adotaram uma atitude de buscar e exterminar. Grupos de agentes, fossem eles cavaleiros da Idade das Trevas, ou Homens de Preto dos dias de hoje, caçariam “manifestações irregulares” e as “esterilizariam”. (É claro que alguns cientistas bem que gostariam de estudar esses fenômenos, mas um confronto com uma manifestação mágica hostil e fora de controle ou um demônio de verdade vindo do Inferno cura-os rapidamente desta curiosidade.) De qualquer forma, a Tecnocracia decidiu que a magia era ruim para o mundo e tomou providências para curá-lo deste mal. Se isso significava matar ou converter magos, erradicar culturas nativas e reescrever a própria história para eliminar todos os traços das lendas... que assim seja.

   A magia está sendo dizimada. Os cientistas que acreditam que a razão é uma ferramenta mais segura se asseguraram disso.
Tecnocracia na Era Moderna.

A Sociedade dos Magos

   Vamos sair daqui. Minha mágica de proteção só dura algum tempo e eu não posso esperar que você entenda tudo isso se nós passarmos a noite sentados nesta ruela coberta de lixo. Vamos para algum lugar onde possamos sentar por algum tempo – restaurantes de noitada são perfeitos para esse tipo de coisa. Eu conheço um não muito longe daqui.
   O quê? Você ainda acha que eu estou dizendo um monte de besteiras? Tudo bem, olhe isso.
   Bastante impressionante, não? Você não vê muitas pessoas conjurando fogo nos dias de hoje. É simplesmente muito difícil. Você também pode fazer isso, mas há um preço. Vamos; eu não posso manter isso por muito tempo e se você quer evitar a Tecnocracia, é melhor ouvir e aprender. Eu aposto que neste exato momento alguma coisa na sua nuca está dizendo pra você concordar comigo. Eu falarei sobre isso depois.
   Como eu estava dizendo, a Ordem da Razão certamente acertou em cheio magos de todos os tipos – e a paulada machucou. A Idade das Trevas floresceu em uma Renascença de possibilidades, mas a Ordem permaneceu bastante ofensiva. Os magos começaram a ver suas culturas nativas e sistemas mágicos morrer conforme as pessoas se tornavam cada vez mais hostis à noção de magia. Naturalmente, os magos que estavam perdendo tinham que tomar alguma atitude sobre isso, e então, finalmente, fizeram o que a Ordem da Razão havia feito: organizaram-se.

   Essencialmente, uma das maiores cabalas da era constatou alguns outros grupos sob uma bandeira de trégua e propagou uma mensagem que dizia: “Esses outros caras estão ferrando todos nós. É hora de cortar a baboseira e nos unirmos.” Várias disputas e brigas internas se seguiram, mas conforme um local mágico após o outro caía diante da influência esterilizante da Ordem, os magos de heranças discrepantes colocaram de lado suas diferenças. Eles finalmente concordaram com um sistema coerente pelo qual eles poderiam trabalhar juntos e discutir suas formas de magia. Esse novo grupo formou as Tradições, abraçando a herança de culturas por todo o globo.

   O Conselho da Tradição começou a consolidar os recursos dos magos da Tradição e propagar seus estilos mágicos. Combinando suas posses, eles conseguiram evitar a destruição total. Contudo, era tarde demais. As Tradições ainda não haviam concentrado a sua atenção no homem comum e a Ordem da Razão tinha muito incentivo por trás dela. Sofrendo perdas constantes, os magos da Tradição se encontravam dispersos, fugindo e incapazes de estabelecer uma oposição séria. A guerra da magia se tornou uma guerra de ideologias à medida que a Tradição tentava converter as pessoas à sua forma de pensar, com sucesso limitado. Por outro lado, a nascente Tecnocracia destruiu todos os indícios de magia de todas as culturas que encontrava.

   O Conselho da Tradição passou por vários altos e baixos, mas sofreu algumas das piores derrotas nos dias modernos. A maioria dos antigos Mestres da Tradição está morta ou desapareceu. A era da tecnologia finalmente se enraizou em uma descrença na magia. Contatos com o mundo dos espíritos e a utilização da energia mágica vêm se tornando cada vez mais difíceis e perigosos. Mesmo os melhores magos restantes têm apenas uma compreensão média sobre o que estamos fazendo. É difícil o bastante tentar sobreviver.

   As Tradições tentam manter a magia viva em um mundo que nem ao menos conhece sua existência. Se ouvir o chamado, você irá se tornar um de nós e se juntará à luta pela magia.

   Mas por que se juntar ao lado perdedor?

Uma Guerra Silenciosa

   A essa altura, você deve estar realmente disposto a acreditar que existe essa coisa de “magia”. Você já a viu em ação e ouve aquele constante sussurro em sua alma dizendo que ela é real. Ainda assim, as Tradições soam como um bando de loucos tentando desenterrar histórias antigas enquanto a Tecnocracia está na liderança. Em um certo nível, essa visão é até mesmo verdadeira.

   A luta entre a Tecnocracia e as Tradições costumava ser chamada de a Guerra da Ascensão. Era uma guerra sem barreiras para ver quem iria moldar o destino da humanidade. A Tecnocracia iria convencer todos de que a ciência é tudo o que há ou as Tradições iriam permitir que o mundo percebesse que a realidade é tão fluente como o ar que ela respira? Neste momento, você provavelmente pode dizer que as Tradições perderam.

   É justamente esse o ponto. Nos dias em que as Tradições tinham tudo, elas perderam tudo devido ao seu orgulho. O Coro Celestial tentou comungar com Deus, mas criou uma Igreja que era surda as necessidades dos paroquianos. A Ordem de Hermes postulou uma versão formulada da magia, mas que só estava disponível para alguns poucos talentosos. Os Verbena praticam uma forma de magia de sangue que é totalmente assustadora. Dada a relativa indiferença das Tradições pelas pessoas comuns, foi somente natural que ela fosse derrotada pela Tecnocracia, que possuía o apoio de toda a humanidade.

   Outrora, as Tradições tinham a esperança de recuperar uma forma mística de ver o mundo. Os magos queriam liberar seus poderes mágicos novamente e voltar no tempo. Eles desejavam abrir as portas da represa do misticismo e tornar a magia acessível. Fim da estrada. Em todos os sentidos, a Guerra da Ascensão acabou.

Hubris Monumental

   Contudo, a Tecnocracia caiu na mesma armadilha que as antigas Tradições. Originalmente, eles só desejavam tornar o mundo mais seguro para as pessoas. Os Tecnocratas criaram melhores grãos, sociedades mais estáveis e um mundo onde você não poderia ser tocado por Deus ou carregado por uma besta para qualquer reino ínfero, onde os mortos permanecem mortos e tudo se encaixa em categorias triviais e organizadas. A Tecnocracia permitiu que a humanidade saboreasse um mundo onde ninguém tinha que correr riscos, usar a imaginação ou se perguntar se a vida poderia ser melhor. As pessoas gostaram disso.

   Todo mago acredita conhecer um caminho melhor. Eu posso fazer algumas coisas bastante potentes, nada de se jogar fora. Contudo, os Tecnocratas se convenceram de que sua forma não apenas era a melhor, como não havia nenhum outro caminho com a menor possibilidade de ser bom. Eles determinaram que o julgamento deles era o melhor e que eles decidiriam pela humanidade o que era certo, o que era bom e o que deveria ser destruído.

   As pessoas não querem mudar mais. As pessoas não querem ter que pensar, usar a imaginação, aspirar coisas melhores do que a mediocridade ou abrir suas mentes para outras possibilidades.

   Eu não estou dizendo que há algo inerentemente mau em refeições diárias. O problema é que a Tecnocracia não acredita mais que as pessoas tenham a responsabilidade de escolher as coisas por si mesmas. Os Tecnocratas acreditam que somente eles podem tomar as decisões pela humanidade. O verdadeiro problema é que agora, ninguém quer aceitar nada novo. Pense sobre quanto tempo eu estou levando para fazê-lo acreditar que a magia é uma possibilidade, mesmo com ela te encarando bem de frente e com sua nova percepção gritando para que você acredite. Agora imagine tentar convencer seis bilhões de idiotas preguiçosos da mesma coisa. Boa sorte.

   Aí é que está o problema. A Tecnocracia não consegue criar nenhuma nova supertecnologia nos dias de hoje devido a essa onda monolítica de apatia. As pessoas simplesmente não aceitam. Veja os protestos contra a clonagem e a total falta de interesse no programa espacial. A humanidade escolheu viver em um mundo de merda. É o mais próximo que podemos chegar da estagnação e nem os Tradicionalistas nem os Tecnocratas conseguem tirar esses seis bilhões de pedaços de carne de sua complacência programada.

   É por isso que a Guerra da Ascensão realmente terminou. As Massas se pronunciaram e escolheram a mais pura e absoluta mediocridade. Nos dias de hoje, a guerra em que lutamos está totalmente ligada as escalas. A Tecnocracia continua querendo acabar conosco e nós continuamos sem ninguém para quem nos voltar além de nós mesmos. Do jeito que as coisas andam atualmente, a maioria dos Tradicionalistas não consegue nem ao menos se diferenciar uns dos outros. Todos têm que se esquivar e mergulhar tanto quanto sempre fizeram a fim de escapar das engrenagens da Máquina. O que mudou é que nós não estamos mais tão preocupados em fazer com que o resto do mundo pense como nós. Você nem ao menos conseguirá me convencer de que vale a pena continuar lutando por isso. O que eu acredito é que vale a pena lutar por um mundo onde você pode pensar e acreditar no que quiser. Esse é o segredo da magia. Sem essa liberdade, ela irá morrer e levar consigo toda a maravilha e elegância da vida.

Onde Quero Chegar

   Aqui estamos. Vá, escolha um lugar; eles não se importam. Eu recomendo um canto imperceptível onde minha voz não valha lá grande coisa.

   Tudo bem, eu já enchi a sua cabeça com métodos mágicos, as Tradições e a Tecnocracia, a guerra pela humanidade e a modelagem da própria realidade. Pela sua cara, posso dizer que você vai precisar de um pouco de café e alguns dias para absorver tudo isso, então eu vou mandar embrulhar para viagem.

   Agora você é um dos nossos. Você pode voltar suas costas e fechar a porta para a magia, mas ela sempre estará esperando do lado de fora. É melhor você aprender a fazer algo de útil com ela do que simplesmente deixá-la de lado ou perder o controle.

   Nós não somos os únicos praticantes de magia por aí. Para quem sabe onde procurar, o mundo está repleto com todo o tipo de mágica. Ela está escondida, claro e certamente também está morrendo. Ainda assim ela está por aí. Às vezes, nós podemos mostrá-la a algumas pessoas, levantando o véu e deixando-as perceber que o mundo é mais glorioso do que elas querem acreditar. Nós podemos proteger as pessoas das criaturas fantásticas e de outros poderes. Nós podemos até mesmo decidir deixar este mundo pra trás e partir para algo novo. Mas não podemos deixar a magia.

Muita coisa para pensar.

   Todos nós temos o potencial de nos tornarmos alguém melhor. Não sabemos exatamente o que, mas todos sentimos o chamado. Você também irá recebê-lo, em sonhos ou como pressentimentos e devaneios. Talvez o resto da humanidade não acorde, mas ao contrário do gado, você tem uma escolha. Você pode deixar que o “pensamento racional” controle o seu mundo ou pode aceitar os riscos e recompensas da magia. Tudo o que você tem que fazer é acreditar.

   As Tradições podem ensiná-lo, ajudá-lo a encontrar uma forma de usar sua magia e alcançar seu potencial. A Tecnocracia poderia fazer o mesmo, mas apenas em seus próprios termos. Eu não posso tomar essa decisão por você. O fato de ter Despertado indica que você tem sabedoria para fazer essa escolha – ou nenhuma escolha – por si mesmo.

   Bem-vindo a um novo mundo, garoto. Eu espero que você sobreviva à experiência.

COMENTÁRIOS VIA FACEBOOK

(Obs: comentários apagados continuam sendo contabilizados devido a um bug do facebook)

COMENTÁRIOS VIA BLOG

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Customized by Mauricio Canavarro | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Best WordPress Web Hosting